quarta-feira, 12 de maio de 2010

Tudo começou...

no dia 22 de janeiro de 2005...acho! Quando uma criança entrou de sola na minha vida. Filho não...sobrinho e afilhado - João Pedro. Ou talvez, bem antes, quando eu era farmacêutica e percebi que criança não é um adulto pequeno mas que os fabricantes de remédios nunca se tocaram disso.
Enfim, o mundo das crianças entrou na minha vida. E junto com ele um encantamento e uma angústia. A fragilidade da criança me comove profundamente e a sua natureza forte, ao mesmo tempo, me inspira. Brotou em mim uma aspiração genuína de entender como nós cuidadores, apaixonados, profissionais ou não, poderíamos proteger as crianças de dentro pra fora, a partir de seu próprio centro, no seu próprio espaço. De fora pra dentro não é suficiente. Podemos fazer muitas coisas para melhorar o mundo mas o isolamento não é uma opção possível, especialmente de em se tratando de uma criança.
Os mestres budistas e os iogues vêm há muitos séculos se dedicando a ensinar as práticas de meditação de tantas formas quantas forem necessárias para que todos se beneficiem delas. É desta fonte que bebo! A meditação pode também ajudar as crianças. Mas como elas não são adultos pequenos, não será da mesma forma.
Fico bem feliz em saber que existe ao menos uma escola, para quem tem a boa sorte de viver perto de Viamão (RS), cujo trabalho se baseia inteiramente em todo o conhecimento budista - a Escola Caminho do Meio. Veja no link Escola Caminho do Meio".
Para quem ainda está distante, busco encontrar as formas, compartilhar o que eu já sei, praticar o que já sei...
Encontrei ao longo deste tempo, muitos textos e livros, quase todos em inglês. Mas a boa notícia é que muita gente deitou as tranças sobre este assunto. Bom!!!!
Quase todos os materiais disponíveis estão sob o tema: "mindfulness", que é melhor traduzido por "atenção plena". E o mais legal é que muitas práticas se referem ao dia-a-dia e não a práticas formais. A tônica é desacelerar a mente, a nossa e a da criança. A nossa prática é certamente muito importante.
Um bom começo é reconhecer a quantos inúmeros estímulos e demandas nossas crianças estão expostas, muitos deles necessários ou inevitáveis. Como poderíamos criar momentos de calma e relaxamento para que elas também se conectem a essa experiência?

Sejam muito benvindos!

2 comentários:

Valquiria disse...

Oi filhota , espero que dê certo este comentário. O blog está ótimo e acho que vai ajudar muita gente. Beijocas

Dora Ferreira disse...

Que bom encontrar esse blog!!! Tenho pensando muito sobre tudo isso que você aborda. Tenho um filho de 6 anos e venho pensando em formas de introduzir, desde cedo, alguns ensinamentos que o ajudarão a lidar com as situações de stress as quais é submetido nesse mundo de hoje.
Parabéns pela iniciativa.
Um abraço.